Fondaparinux ou Enoxaparina? – O que é melhor na SCA sem supradesnível de ST (FAST-MI Trial)

Caio Tavares

Alexandre de Matos Soeiro

Tatiana de Carvalho Andreucci Torres Leal

Leonardo Jorge Cordeiro de Paula

 

Estudo publicado recentemente e derivado do banco de dados francês FAST-MI levantou novamente essa questão. A diretriz europeia coloca o fondaparinux como indicação Ia ao passo que a diretriz americana julga o fondaparinux como indicação Ib e somente para pacientes em tratamento clínico. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi comparar dados de mortalidade após 1 ano e de sangramento intrahospitalar entre uso de enoxaparina ou de fondaparinux em pacientes com síndrome coronária aguda sem supradesnível de ST. O sangramento foi avaliado pelo critério TIMI e foram incluídos 1267 pacientes (240 no grupo fondaparinux e 1067 no grupo enoxaparina). As características basais encontram-se na figura 1. Os medicamentose procedimentos utilizados encontram-se na figura 2.

 Figura 1

Figura 1. Características basais da população estudada.

Figura 2

Figura 2. Procedimentos e medicamentos utilizados.

Não foram observadas diferenças entre os grupos para os desfechos analisados (figura 3). No subgrupo de paciente que fez uso de fondaparinux e heparina não-fracionada também não houve diferença para os desfechos.Após ajuste para o GRACE escore a mortalidade entre os dois grupos foi a mesma (HR: 1,35; 95% CI: 0,70–2,51). Mesmo na análise subgrupos não se observaram diferenças entre os desfechos nos medicamentos avaliados.

 

Figura 3

Figura 3. Desfechos intrahospitalares.

Comentários:

Fondaparinux não foi superior a enoxaparina neste estudo e os riscos de sangramento foram similares.

Diferenças para os achados do OASIStrial: mais paciente submetidos à angioplastia e uso de acesso radial.

– No entanto, trata-se de estudo pequeno com apenas 240 doentes no grupo fondaparinux, o que não permite avaliar com segurança eventos coronarianos.

– Além disso, o grupo fondaparinux utilizou maior quantidade de inibidores de glicoproteína IIbIIIa e de heparina não-fracionada.

– O uso do fondaparinux não foi realizado conforme a orientação de diretriz.

– O estudo não é randomizado ou prospectivo.

Referência: Puymirat E, et al.Impact of fondaparinux versus enoxaparin on in-hospital bleeding and 1-year death in non-ST-segment elevation myocardial infarction. FAST-MI 2010. European Heart Journal: Acute Cardiovascular Care. 2015;4(3):211-219.

 

 

Alexandre de Matos Soeiro

• Médico Assistente e Supervisor da Unidade Clínica de Emergência - InCor (HCFMUSP). • Coordenador do Curso Nacional em Emergências Cardiológicas • Médico Assistente Homenageado pelas Turmas de 2012 a 2014, 2013 a 2015, 2014 a 2016, 2015 a 2017 e 2016 a 2018 de Residentes/Estagiários do InCor-HCFMUSP. • Vencedor do Prêmio Jovem Investigador - Josef Feher do Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo em 2015 • Coordenador da Liga de Emergências Cardiovasculares do InCor - HCFMUSP. • Professor Convidado de Graduação do Terceiro, Quarto e Sexto Anos da FMUSP. • Preceptor homenageado pela Turma 94 de graduação da FMUSP • Médico Preceptor em Cardiologia - InCor - HCFMUSP - 2011. • Especialista em Medicina de Emergência pela ABRAMEDE. • Especialista em Cardiologia pela SBC. • Residência Médica em Cardiologia - InCor - HCFMUSP. • Especialista em Clínica Médica pela SBCM. • Residência em Clínica Médica - HCFMUSP. • Graduação em Medicina pela FMUSP. • Instrutor Ativo de Cursos de ACLS - LTSEC - InCor - HCFMUSP. • Instrutor Ativo de Cursos SAVICO (Suporte Avançado de Vida em Insuficiência Coronária) e SAVIC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *