Surge uma Nova Medicação para o Tratamento da Insuficiência Cardíaca – PARADIGM-HF Trial

Thais Chang Valente

Alexandre de Matos Soeiro

Tatiana de Carvalho Andreucci Torres Leal

Leonardo Jorge Cordeiro de Paula

Múcio Tavares de Oliveira Jr.

 

No congresso europeu desse ano, foi apresentado um dos trabalhos de maior repercussão nos últimos anos. Trata-se do PARADIGM-HF Trial, estudo randomizado e duplo-cego que avaliou a ação de um inibidor da neprilisina associado à valsartana. A neprisilina é uma endopeptidade de degrada peptídeos vasoativos endógenos como BNP, bradicinina e adrenomodulina, aumentando a vasoconstrição, retenção de sódio e o remodelamento cardíaco.

Dessa forma, os autores randomizaram cerca de 4000 pacientes em cada grupo de maneira a receber o composto LCZ696 (inibidor da neprilisina [sacubitril] 200mg + valsartana 160mg) de 12 e, 12 horas ou enalapril 10mg de 12 em 12 horas. Os critérios de inclusão foram:> 18 anos, classe funcional II,III ou IV, fração de ejeção < 40%, BNP > 150 ou NT pró BNP > 600 e internação por insuficiência cardíaca nos últimos 12 meses com BNP > 100 ou pró BNP > 400. Já os critérios de exclusão foram: hipotensão sintomática, PA sistólica < 100 mmHg na fase de screnning ou < 95 mmHg na fase de randomização, clearance de creatinina < 30 ml/min ou piora de 25% entre screnning e a randomização, K> 5,2 mEq/L no screnning ou > 5,4 mEq/L na randomização e história de angioedema ou efeito colateral indesejável enquanto recebiam IECA ou BRA. As características basais da população encontram-se na figura 1.

 Figura 1

Figura 1. Características basais da população em estudo.

O desfecho primário foi morte por causa cardiovascular ou primeira hospitalização por insuficiência cardíaca. Os desfechos secundários foram morte por qualquer causa, mudança do score KCCQ em 8 meses, nova fibrilação atrial e piora de função renal. Nos resultados, observou-se diferença significativa em quase todos os desfechos, incluindo mortalidade, a favor da nova medicação (figuras 2 e 3).

Figura 2

Figura 2. Desfechos avaliados comparativamente entre os medicamentos.

 Figura 3

Figura 3. Evolução a longo prazo dos desfechos avaliados.

Quanto à segurança, o LCZ696 mostrou maior índice de hipotensão sintomática, sem outros efeitos colaterais relevantes (figura 4) e sem aumento da suspensão da dose.

 Figura 4

Figura 4. Desfechos de segurança relacionados ao uso das medicações.

Os autores concluem que o novo composto foi capaz de reduzir mortalidade, internações e sintomas relacionados à insuficiência cardíaca em todos os subgrupos avaliados.

 

Comentários

– O LCZ696 foi comparado a uma dose não otimizado de IECA, o que pode ter comprometido o resultado do estudo.

– Foi realizada uma pré-seleção dos pacientes em que cerca de 20% foram excluídos por intolerância à medicação.

– A presença de hipotensão deve ser considerada, com tendência a aumento do número no mundo real.

– Tal medicamento deve substituir o uso de IECA nos próximos anos.

– Não sabemos o real benefício de terapias com B-bloqueadores e espironolactona em pacientes recebendo essa nova medicação.

– Apenas 5% da populacao incluiu pacientes negros.

– Pacientes em CF IV foram somente 1% do total. Portando, nao se pode avaliar esse medicamento nesse subgrupo especifico.

Referência: McMurray JJV, et al. Angiotensin–Neprilysin Inhibition versus Enalapril in Heart Failure.NEJM 2014;10: 1 -12.

Alexandre de Matos Soeiro

• Médico Assistente e Supervisor da Unidade Clínica de Emergência - InCor (HCFMUSP). • Coordenador do Curso Nacional em Emergências Cardiológicas • Médico Assistente Homenageado pelas Turmas de 2012 a 2014, 2013 a 2015, 2014 a 2016, 2015 a 2017 e 2016 a 2018 de Residentes/Estagiários do InCor-HCFMUSP. • Vencedor do Prêmio Jovem Investigador - Josef Feher do Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo em 2015 • Coordenador da Liga de Emergências Cardiovasculares do InCor - HCFMUSP. • Professor Convidado de Graduação do Terceiro, Quarto e Sexto Anos da FMUSP. • Preceptor homenageado pela Turma 94 de graduação da FMUSP • Médico Preceptor em Cardiologia - InCor - HCFMUSP - 2011. • Especialista em Medicina de Emergência pela ABRAMEDE. • Especialista em Cardiologia pela SBC. • Residência Médica em Cardiologia - InCor - HCFMUSP. • Especialista em Clínica Médica pela SBCM. • Residência em Clínica Médica - HCFMUSP. • Graduação em Medicina pela FMUSP. • Instrutor Ativo de Cursos de ACLS - LTSEC - InCor - HCFMUSP. • Instrutor Ativo de Cursos SAVICO (Suporte Avançado de Vida em Insuficiência Coronária) e SAVIC

2 comentários “Surge uma Nova Medicação para o Tratamento da Insuficiência Cardíaca – PARADIGM-HF Trial

    1. Concordo. Acho que temos muito a aprender com isso ainda. O estudo teve muitos critérios de exclusão também, e só uma pequena amostra dos pacientes foi incluída.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *